Competimos no Wod Social Games

HORA DO BURPEE foi criado a quase um ano. Assim sendo, escrevo, quase que diariamente as notícias que o CrossFit proporciona. É através dele também que vou a diversos eventos. Porém, para fazer meu trabalho como jornalista, nunca como atleta. Então, resolvi me aventurar em uma verdadeira jornada dupla, competindo e cobrindo o Wod Social Games. Para isso, escolhi integrar um quarteto na categoria Estreante Masculino. Para essa aventura escolhi três alunos do box Formigacross para se aventurar comigo. Assim o professor de física Leonam Ribeiro, o empresário Leonardo Hafner e o músico, Fernando Thelbaldi foram os escolhidos para essa aventura.

Para mostrar que o CrossFit é de fato para todas as idades, nosso músico é um rapaz de 54 anos, competindo com pessoas de 30 até 16 anos no evento. Os workouts do Wod Social Games foram de fato um verdadeiro teste pessoal, para que cada atleta se testasse o máximo na competição. Podemos dizer isso não só na categoria ao qual participei, mas em todas as que pude conversar com os participantes. Com um cronograma funcionando de acordo com o passado nas redes, os únicos perrengues que os inscritos passaram foi de fato no momento das provas.

Cada uma com a sua adaptação, o evento cumpriu um primeiro dia com excelência. Para quem quisesse aproveitar o comércio montado, marcas como Powered By Coffee, Crossmania, Agile Performance, Leve, Upperjust, Burpee Brasil, Box PT Equipament, Mundo V2 e Garota de Ferro, trouxeram bons preços e muita qualidade. Além de uma bela rodada de food trucks e muita comida boa. Para comandar a festa o trio de apresentadores Naty Graciano, Athos Ribeiro e Guilherme Belém, deram de fato um show, brincando e levantado a arquibancada.

Primeiro dia de evento

A tensão inicial do primeiro workout talvez invada a todos participantes, experientes ou não. Para muitos, sair na frente pode ser o combustível para uma empolgação de querer se manter no alto. Porém, não foi fácil realizar todas as tarefas do workout. Para no final ainda dar uma bela volta entorno da pista de corrida do Estádio Olímpico Nilton Santos, o Engenhão. Por sinal, a corrida final foi um dos momentos mais emocionantes em muitas categorias. Ao final do primeiro workout eu e meu quarteto terminamos na 9ª colocação, dos 18 quartetos. Porém no segundo workout a ginástica falou mais alto e o movimento de LPO, deadlift acabou impulsionado o meu quarteto para a 4ª colocação no final do primeiro dia.

Segundo dia de evento

Talvez o dia mais tenso para todos os participantes. A ideia de ter apenas duas chances em pouco tempo para conseguir bater o PR em exercícios como squat clean, clean e front squat, clean & jerk e squat snatch, deixou muito atleta sem dormir. Além disso, a incerteza de quais dos três workouts que entraram para votação seria o escolhido, foi outro ponto de tensão. Contudo o primeiro workout do dia foi uma verdadeira chuva de Burpees.

Claro que o meu quarteto não poderia fazer feio, senão teria que trocar o nome do site. Contudo, os quatro minutos de Burpee over de bar pareceram, de fato, uma eternidade. Porém minha categoria trazia um benefício que as demais não. Podíamos revezar, pois apenas dois precisavam sincronizar o exercício. Enquanto em todas as outras categorias, trios, duplas e individuais, a troca era impossível. Minha equipe finalizou com um total de 73 repetições. Porém na sequência chegou a hora do tão temido PR. A soma total do squat clean foi de 288kg para minha equipe. Número baixo perto de muitos grupos. Mas o burpee levantou a equipe. As categorias que se seguiram, tanto masculino quanto feminino mostraram o alto nível. Com destaque para o atleta elite, o colombiano, Alejandro Arcila que levantou 114kg no squat snatch.

Workout surpresa

Ao final dos workouts conhecidos pelos atletas veio o tão temido wod final criado pelos head coaches que se dividia em duas partes, THE END 1 e THE END 2. Posso dizer que as provas foram realmente para separar adultos de crianças. Após dois dias intensos de puro CrossFit, os últimos workouts exigiram o máximo de cada atleta. Ainda no iniciante era possível ver os atletas totalmente exauridos ao final das provas. O sol forte deixava tudo mais difícil para as primeiras categorias  do evento que ficaram totalmente expostos. Essas duas etapas foram decisivas e mudaram o placar em diversas categorias. Participar do Wod Social Games em sua primeira edição foi prazeroso, tanto como atleta, como repórter, de fato a organização do evento fez jus ao que foi anunciado e quem assistiu o evento viu um grande espetáculo. Minha equipe? Fechamos felizes o evento na 5ª colacação.

A categoria de vida

 O evento ainda contou com uma bateria emocionante e de se aplaudir forte com os atletas do adaptado. A paulista Josi Silva foi uma dessas histórias de vida. Ao lado do atleta Thiago Gordinho, Josi veio até a capital carioca se aventurar no Wod Social Games: “o Campeonato pra mim foi mais um desafio indescritível, uma experiência incrível, eu me superei. Pude perceber que tenho muita coisa pra evoluir e sei que tenho potencial pra isso”.

Josi também falou dos objetivos que tem com o CrossFit adaptado e a importância de mostrar isso ao mundo: “eu acho que é importante mostra que o esporte em si é pra todos. Assim me vejo como inspiração para outras pessoas e me vejo como uma dessas fontes. Não só pela força de vontade, mas também pela história de vida de cada um. Por isso, quero ajudar as pessoas que se sentem incapazes e acham que não conseguem praticar algum tipo de atividade física. Quero ajudar as pessoas a superar suas dificuldades, doenças tipo depressão, síndrome do pânico, etc”.

Nossa atleta também contou os motivos que a trouxeram para o Wod Social Games e falou sobre o que quer para seu futuro dentro do esporte. “O que me motivou vir foi minha vontade de competir, de mostrar minha força e de conhecer mais pessoas nesse meio. Quem sabe um dia, ser uma atleta profissional. Minha maior vontade é viver de esporte, espalhar isso para o mundo todo”. Um dos grandes nomes do CrossFit adaptado também esteve presente ao evento, Ricardo Allgayer participou e fez bonito. Além claro, de posar para diversas fotos com os admiradores da sua história de superação e força.

Uma Elite de respeito

Para quem acompanhou todo o evento, pode se deparar com nomes de peso da elite do CrossFit. Além de Alejandro, nomes como Wagner Junior, Diego Nunes e Pedro Bonissatto fizeram parte dos nove atletas convidados para participar do Elite Masculino. Enquanto no feminino, Amanda Schott, Aline Nicola, Diana Holanda e Ittallaneyz Cavalcanti eram alguns dos nomes das oito atletas elite. Porém o grande nome do evento acabou sendo o participante e vencedor do reality show Wod Live, Bruno Miranda.

“O evento esta sendo maravilhoso e esta seguindo o cronograma a risca. Isso ajuda muito o atleta porque ele pode planejar sem problemas a alimentação de maneira adequada. A questão das provas estão muito ‘legais’, rápidas e boas. Não temos um grande desgaste físico porque a gente não precisa ficar tanto tempo na área dos atletas e estou gostando muito do evento de maneira geral”, contou Bruno. O atleta foi o grande vencedor da categoria e contou que o Wod Social Games conseguiu servir ao propósito social do esporte. “O CrossFit é um esporte totalmente inclusivo, tanto é que uma pessoa que perdeu algum membro do corpo pode praticar o esporte. Só olhar a nossa volta e ver quantos atletas adaptados nós temos aqui, essa ideia de inclusão esta aqui. Ver os grandes eventos como o Wod Social e o próprio Monstar Games abraçando esses atletas é muito bonito”.

 

Atenção!!!

Fiquem ligados no nosso Instagram, iremos avisar por lá quando todas as fotos do evento estiverem disponíveis no nosso Facebook.

Um comentário Adicione o seu

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado.