Iron Wod Brasil 2 é sucesso em provas e em emoção

Melhor do que o esperado. Dessa maneira que pode ser, facilmente a classificado a segunda edição do Iron Wod Brasil. Com cerca de 1000 atletas e um público digno do Maracanã. Assim, o evento invadiu o estádio e trouxe muita categoria e qualidade no último fim de semana. Com atletas bem preparados e dispostos a dar o seu melhor. O Iron Wod aconteceu sem grande percalços e nem mesmo a chuva forte de domingo estragou a festa.

Dessa maneira as provas aconteceram dentro dos horários previstos. O que facilita para manter o atleta motivado e dentro do cronograma. A torcida também fez bonito e junto com os narradores, Naty Graciano, Marcelo Prata, Tati Alves e Anderson Brasil, animaram e deram o tom do evento. Para quem decidiu aproveitar o final de semana no estilo mais CrossFit possível. Pode ver uma comunidade fitness disposta a dar seu melhor, fosse na corrida de 400 metros, nas chuvas de burpess ou até mesmo na hora de bater o PR. Aliás, esse último com certeza fez muita gente tremer.

Os workouts criados pelo head coach do evento, Pablo Chalfun conseguiu tirar o melhor de cada atleta nas categorias iniciante, scale, intermediário (todos masculino e feminino), além do Master (masculino e misto) e o RX masculino. Por sinal, teve até mulher mostrando que pode enfrentar homem de igual para igual. Como foi o caso da atleta da Klaus CrossFit, Luciana Pereira. Além de disputar o Master MASCULINO, por livre escolha, ainda levou para casa o segundo lugar.

Primeiro dia

O primeiro dia de baterias do Iron Wod Brasil aconteceu em um belo dia de sol. Aliás, bem quente. No primeiro workout, o “Wod Vencedor”, os atletas precisaram se dividir entre muitos Clean & Jerk e Burpees Over the Bar Syncro. Embora o sol forte todos conseguiram executar bem os movimentos, que eram igual para todos, alternando apenas a questão dos pesos.

Já a segunda prova do dia acabou sendo um pouco mais puxada. Dividido em dois “Vem Afobado” e “Vem Tranquilo”, os atletas precisaram mostrar que o pulo de corda estava em dia. Tanto no single para os iniciantes e scale, como o double para as categorias acima. Além de uma chuva de Thruster e Hang Cluster. Após isso, um workout “nada tranquilo”, veio em seguida, exigindo um abdômen forte, tanto no sit up como no T2B. Além de bastante pulo de caixa.

Segundo dia

Um domingo chuvoso se anunciou ainda no começo do segundo dia de Iron Wod. Contudo, a chuva aconteceu apenas no começo da manhã. Porém o suficiente para molhara o chão do estádio, deixando os workouts “Tá Tranquilo” e “Tá Favorável”, um pouco diferente de seus nomes. No primeiro wod do dia os atletas precisaram correr 400 metros e fazer o máximo de agachamento possível, em front squat ou Over head Saquat, dependendo de sua categoria.

Para finalizar cada atleta precisava achar o PR para fazer quatro repetições de front squat e OHS. Porém foi o wod “Total 12” que colocou os atletas para suar e decidir quem de fato seriam os grandes campeões do dia, com variações de HRPU, HSPU, pull up, bar muscle up, carrinho de mão, wall ball, entre muitos outros. Tudo isso fazendo o Broad Jump Over Plank. A disputa em todas as categorias foi disputada ponto a ponto pelos primeiros colocados que fizeram bonito e foram merecedores de suas colocações.

Patrocinadores em ação

Outro lado importante para o evento foram as ações dos patrocinadores que ajudaram a trazer pequenas provas durante os intervalos. Dessa maneira, os apresentadores puderam entreter e animar ainda mais o evento, trazendo o público para dentro da arena.

Tivemos a presença da Colgate, a água HayUp, Monster Energy, Farmanunes e Croosfood Congelados fazendo suas ativações na arena. Enquanto na área de comércio tivemos grandes marcas de roupas e equipamentos. Além de uma bela variedade de comidas, fitness e não fitness para os espectadores.

Powerlifting no Iron Wod

Outra disputa que trouxe muita força bruta para o evento, sem dúvidas, foi o desafio do Deadlift. A disputa aconteceu paralela ao evento e trouxe bastante olhares e, principalmente, muito peso. Tanto para os homens como para as mulheres. Chegando a marcas como 215kg para os homens e 170kg para as mulheres. Tudo com a supervisão da Federação de Powerlifting do Estado do Rio de Janeiro.

Com grandes nomes na disputa, valeu muito a pena para quem está acostumado a fazer o movimento dentro das aulas de CrossFit, poder ver a origem e os objetivos desse exercício. Mais uma boa experiência e jogada que o Iron Wod Brasil trouxe para seu público. Muita gente já espera rever as feras do LPO no ano que vem. Aliás, muita gente ficou com vontade de entrar na disputa.

Crianças na arena

Embora extremamente importante, afinal é uma competição, os atletas vencedores e merecedores de todos os aplausos, são só mais um dos pontos altos do evento. Como dito anteriormente, o Iron Wod Brasil 2 levou os pequenos para dentro da arena. O que no ano passado ocupou apenas algumas poucas raias da competição, esse ano tivemos as 25 lotadas.

Com muito gás e disposição, as crianças fizeram bonito e ao lado dos pais subiram as cordas, fizeram step box, box jump, burpees over de bar syncro e muito snatch. Teve inclusive criança deixando o papai para trás no wod. Mas deixa esse assunto para lá (como diz Tia Naty: “paz”). Ao final do workout os pequenos ainda tiveram disposição para tirar uma foto em grupo com a presença do Homem de “Prata”.

Clean Revelação da Antonella

Um dos momentos de grande emoção, foi a descoberta do sexo da primeira bebê Iron Wod. O coach da CrossFit Bald, Marcel Esteves Pereira e sua esposa Bianca Araújo decidiram dividir a descoberta do sexo do primeiro filho, junto ao Maracanã.

Assim, na frente de todos, o casal levantou a barra, Marcel fez o clean, enquanto Bianca marcou o deadlift. Ao soltarem as barras nos pequenos sacos no chão, a poeira rosa anuncio que a Antonella está chegando ai.

Na hora o papai emocionado gritou: “vai ser CrossFiteira!”. Para nossa equipe o coach contou: “estamos muito felizes, um momento único. Ano que vem vamos levar a bebê para o IronWod”. Agora temos mais um motivo para a terceira edição do evento.Todos querem conhecer a pequena Antonella.

Os mais fortes da arena

Sem dúvida alguma não foram os atletas do Powerlifting e nem os RXs os homens e mulheres mais fortes que competiram. A garra e força de vontade que merece ser destacado é da galera do CrossFit Adaptado. Afinal, são eles que mostram que não há limite quando a força de vontade fala mais alto. Dessa maneira eles trouxeram para dentro da arena, talvez dois dos momentos mais emocionantes do final de semana. O primeiro ficou a cargo do atleta adaptado Antônio Loureiro, do box Power Axé. Cadeirante, a cada tentativa de desistência dele, a torcida gritava e empurrava o atleta gritando seu nome. Ao lado de seu trio a atleta Natasha Moraes e o headcoach da Power Axé, Rafael Machado, Antônio fez bonito e levou o segundo lugar.

Porém, o momento mais emocionante e que deixou até mesmo os apresentadores sem palavras, foi sem dúvida a última prova, onde todos os participantes se uniram para ajudar o último trio a terminar o wod na arena. Faltavam apenas poucos pull ups para finalização do workout, contudo, vendo o notório cansaço dos participantes, o atleta Ricardo Allgayer tomou à frente e mesmo após finalizar o wod com seu trio, Five Legs, ele pulou na barra para ajudar os competidores. A ação de Ricardo sutil efeito e todos na arena passaram a se revezar para finalizar o workout. Após acabar a prova ainda dentro do Time Cap, não poderia ser diferente. Olhos marejados e um enorme abraço coletivo com o carinho dos aplausos  de todos presentes.

 

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado.