Entrevista com Anderon Primo

Sem dúvidas um dos grandes nomes do CrossFit nacional é o paulista Anderon Primo. Afinal, ele é tetracampeão do TCB e considerado o melhor atleta elite de 2018 pelo “Prêmio Melhores do Ano CF 2018”. Assim, Anderon é um dos atletas a ser observado esse ano. Por isso, nossa equipe bateu um papo com o atleta da CrossFit Bauru, sobre o que o atleta espera para 2019 e o que vem pela frente. Anderon também falou sobre sua preparação para os campeonatos, o Games e como vê sua premiação como o melhor atleta do Brasil. Leia abaixo a entrevista exclusiva que ele deu para HORA DO BURPEE e descubra um pouco mais desse representante brasileiro da modalidade.

Como você conheceu o CrossFit e em que momento viu que poderia segui uma carreira dentro da modalidade?

Conheci o CrossFit em 2013 através do meu coach Junior Carvalho. Trabalhávamos juntos em uma equipe profissional de Judô e no tatame mesmo tive meu primeiro contato. Acho que após a classificação para o Regionals de 2014 no Chile eu vi que seria algo pelo qual eu queria me dedicar.

Como é a sua preparação nos treinos para as competições?

Minha preparação é anual, com foco em algumas competições principais do ano. Sendo assim, treino duas vezes por dia em média 3h de duração. Mas próximo as competições, diminui a intensidade e se disponível testo os wods.

Como é a sua alimentação? Ela muda em épocas de competição?

Minha dieta é regrada, procuro tentar seguir o mais à risca possível, mas tem horas que ninguém é de ferro (risos). Sim, pré-competição muda, aumenta ingestão de carbo entre outras variações.

Quem são seus coachs? Quem monta sua planilha de treinos?

Minha periodização é toda montado por meus coaches. Tenho o Junior que é responsável pela montagem e organização, João pelo LPO, Rafa pelo Ginastico e Douglas no Endurance.  Sigo duas sessões diárias com média de 3h de duração.

Em 2018 um problema com seu dente do siso te tirou da luta para o Crossfit Games 2018. Como estará Anderon esse ano?

Eu tive um probleminha com meu siso no meio do Open, no Regional as coisas acabaram não funcionando como eu imaginava. Mas foi um aprendizado gigantesco, para 2019 o foco é o mesmo, Games acima de tudo.

Como você vê as mudanças criadas por Greg Glassman para a classificação para a competição?

Vejo como uma mudança positiva, o esporte se recicla buscando uma maior inclusão no Games, dando a alguns uma oportunidade a mais. Chegar ainda é algo difícil, mas não impossível.

Você faz parte do primeiro reality show da modalidade no Wod Live. Por que você aceitou esse desafio?

Aceitei porque achei algo inovador, passar 10 dias treinando com atletas da elite brasileira vai ser algo surreal.

Como é a sua relação com os demais participantes do programa?

Não tenho problemas com ninguém no CF, tenho um relacionamento muito bom e me orgulho bastante disso.

Em entrevista ao Wod News, você chegou a dizer que não pensava ainda em ser um coach e apenas dava algumas aulas no box que você faz parte, CrossFit Bauru. Você continua com esse pensamento? Por que?

Sim, dar aula é um Hobby pra mim, uma jeito de tirar a tensão dos treinos. Meu foco até os 28 anos é ser atleta e ter performance nisso. Depois terá espaço para um novo Anderon, por hora competições são meu foco.

No final do ano passado você foi premiado com dois troféus no evento “Prêmio Melhores do Ano CF 2018”. O que significa para a modalidade no Brasil ter um evento dessa magnitude?

Acho interessante um evento desse. É importante para os atletas o reconhecimento por um ano de trabalho. Precisamos disso, tem uma certa motivação nisso.

Você foi um dos agraciados com o troféu Muso do Crossfit 2018. Como você vê esse prêmio?

Muso (risos), acho que foi o primeiro prêmio que eu fico feliz de não ganhar. Conhecendo meus amigos, a “zoeira” seria pesada caso trouxesse o 1º lugar para casa.

Qual a responsabilidade que acarreta para você ficar em primeiro lugar dos atletas elites, ficando inclusive à frente de Pablo Chalfun, representante brasileiro do Games?

Acho que cada um teve seu momento no ano de 2018. Pablo é um atleta incrível e fez história indo para o Games. Eu fiz a minha sendo Tetra do TCB, então não vejo como ficar à frente de ninguém. Fico feliz de receber o prêmio mas acredito que foi pelo feito de todos esses anos no CF e não por um ano específico.

Para finalizar, o que podemos esperar de Anderon em 2019? Deixe uma mensagem para seus fãs.

Podemos esperar o Anderon de sempre, brigando em todos os wods, rep a rep pelo primeiro lugar e buscando fazer história. O que deixo de mensagem é que acreditem no seu sonho, viva-o e busque sempre ser a melhor versão que puder ser de você mesmo.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado.