A importância e os cuidados dos Cintos de LPO

O LPO é sem dúvida um dos movimentos primordiais do Crossfit que dão força aos atletas. Por isso, para fazê-lo é necessário ter muita técnica e habilidade para a execução certa. Posicionar de maneira certa o quadril nos movimentos, ter o core alinhado, impulsão no tempo certo. São tantos pontos necessários para desenvolver o movimento corretamente. Por isso, muitos acessórios são bem-vindos na hora de auxiliar o atleta nesse momento.

Um dos mais importantes é o cinto de LPO. Muito usado em competições de levantamento de peso, o cinto também ganhou os boxes de crossfit. Entretanto, a função do cinto é oferecer uma barreira para que os músculos do abdômen possam empurrar contra. Assim proporcionando uma estabilização do tronco e evitando que a lombar se flexione. Com isso, é possível perceber que os melhores cinturões são aqueles que tem a região do abdômen mais larga e não a da lombar. Assim, essa estabilização maior reduz o risco de lesões ao levantar cargas mais pesadas. Além de poder aumentar a performance do atleta que possa ter a força abdominal mais fraca. Contudo, o recomendável é que apenas quando o atleta for levantar pesos bem alto é que se deve usar o cinto. Sendo assim, alguns especialistas dizem que o atleta deve utilizar o cinto em cargas de 85% do PR.

Leonardo Lima

O cinto ajuda o atleta a ter a postura ideal para o movimento, em qualquer carga utilizada. Porém, é dito que treinar sem o cinto, ajuda o desenvolvimento do core. Com isso, é recomendado para iniciantes o treino sem ele, para fortalecer o abdômen e as costas do praticante. Para os iniciantes, focar primeiro no desenvolvimento dessas regiões é mais importante do que a sobrecarga do peso. Além disso, outro fator que pode ser uma desvantagem se utilizado por iniciantes, é o cinto se transformar em uma bengala no treino. Sendo assim, o atleta principiante acaba não ativando corretamente os músculos abdominais. Entretanto, o cinto de LPO não é recomendado para o momento de exercício de cardio. Corrida, box jump, corda e até mesmo o burpee, deve ser feito sem o cinto. Afinal, o uso dele pressiona o abdômen, dificultando a respiração e os movimentos.

Os Modelos de Cinto de LPO

Existem diversos modelos de cinto, tanto em seu material, como na largura abdominal e o tipo de fivela para prender ele ao corpo. Com isso, os cintos de couro são mais resistentes e oferecem um melhor suporte aos atletas. Enquanto os de nylon são mais econômicos e maleáveis. Já nos quesitos de largura abdominal, existem os cintos largos, que possuem maior estabilidade do atleta, e os estreitos que dão mais mobilidade na hora do levantamento olímpico. Por último, existem três tipos de fivelas. A simples, com maior confiabilidade. A dupla, mais rígida na hora de prender ao corpo. De engate rápido, ajuste melhor na maioria das vezes e mais fácil de ser manipulado.

Com isso, existem diversas marcas de fabricantes de cinto de LPO, Mamut, Rogue, Rudel, Pood, Gladius, Army, entre outros. Os preços variam de marca e modelo de cinto, podendo ser de R$ 70,00 até R$ 500,00 ou mais. Analise os valores e a sua necessidade de usar o cinto nos treinos. Além disso, por se um cinto utilizado também na musculação convencional, são inúmeros sites e lojas que comercializam o cinto de LPO.