Thruster, o exercício mais completo do LPO

A junção do back squat com o push press fez nascer o Thruster. Já falamos aqui sobre o wall ball que nasceu como um treino acessório para o thruster. Porém, esse movimento é bastante utilizado, inclusive nas competições iniciantes. Contudo, ele pode ser feito apenas com uma anilha ou com uma barra olímpica.

Esse movimento de LPO pode ser considerado um dos mais completos, uma vez que trabalha músculos quadríceps, isquiotibiais, glúteos, todo o complexo do core, panturrilhas, ombros, tríceps e costas. Assim, o thruster se torna um movimento altamente funcional. Pois pode ser utilizado em um treinamento desportivo, para aumento de força, para melhorar o condicionamento físico e emagrecimento. Além disso, ao praticar o thruster, fazemos movimentos comuns do dia a dia, como a extensão de quadril, joelhos e ombros. Sendo assim, ele fortalecer os músculos para o seu dia a dia.

Além do aumento de força, o thruster ainda trabalha a coordenação motora do praticante, pois a junção dos movimentos necessários faz com que a pessoa treine também essa vertente. Outro fator importante que thruster traz é o trabalho de emagrecimento. Por utilizar uma grande quantidade de músculos, movimentos amplos que demandam uma forte estabilização, o gasto calórico é muito elevado.

Cuidados na hora de fazer o Thruster

Embora muito eficaz para os treinamentos. O thruster deve ser realizado com muito cuidado, assim como todos os exercícios de CrossFit. Para começar, optar por aprender o movimento sem peso, apenas com a barra, que geralmente pesa de 15 a 20 kg. Há também a possibilidade de se usar as anilhas, fazendo o movimento sem grandes cargas para aprimora-lo. Assim pode-se evitar as lesões e o impacto articular desnecessário.

Outro ponto muito importante é em relação ao histórico de doenças do praticante. Pessoas com patologias como condromalácia patelar, hérnia de disco, escoliose, assim como todas as outras envolvendo a coluna vertebral, síndrome do impacto ou lesões no manguito rotador, devem evitar ao máximo este movimento. Por fim, o movimento exige uma necessidade de mobilidade articular, principalmente no agachamento. Sendo assim, quem tem pouca mobilidade, deve, antes de mais nada, melhorar essa condição para fazer o movimento.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado.