Ativista americano acusa Rich Froning de racismo

É triste ter que trazer mais desse problema que vem assolando o nosso esporte atualmente. Porém, mais uma polêmica pode estar para nascer nesse período delicado do CrossFit. Contudo, o foco agora não é mais Greg Glassman e sim Rich Froning. E sim, infelizmente a notícia não é boa para o americano.

Símbolo master do esporte, Froning foi um dos atletas que veio a público repudiar as colocações do criador da modalidade. Contudo, o ativista Ham Spatula, praticante de CrossFit e apoiador das causas contra o abuso policial, publicou um post em seu Instagram, onde ataca Froning. Segundo Ham, o atleta teve uma ação errada, ao qual ele considera, ser racismo por parte do ícone do esporte. De acordo com o post, o atleta haveria no ano passado criado uma camisa com a bandeira americana Betsy Ross, bandeira criada na época da escravidão e uma das primeiras do país.

Porém, a camisa teria sido feita após Froning não gostar da atitude da Nike que atendeu ao pedido do jogador de futebol americano, Colin Kaepernick. O jogador pediu para que não fosse colocado a bandeira no tênis Air Max 1 Quick Strike Fourth of July. Assim sendo, a Nike atendeu ao pedido e não só não colocou, como não lançou o tênis. Ao saber disso, Froning não teria gostado da decisão e resolveu implementar a bandeira em uma de suas camisas, à venda em seu site até hoje.

Após expor os fatos, o ativista ainda alfinetou Froning dizendo que seria mais fácil o atual presidente dos Estados Unidos, Donald Trump, realizar o Benchmark Fran em menos de dois minutos, do que o atleta pedir desculpas a Kaep e retirar a venda da camisa em seu site.

Leia a tradução do post

“Olá amigos do Crossfit:

Como alguns de nós parecem mais aptos a responsabilizar as pessoas de nossa comunidade hoje em dia, eu só queria lembrá-lo que em julho do ano passado, Colin Kaepernick pediu respeitosamente à Nike para não CELEBRAR uma bandeira da era da escravidão que eles colocariam em novo par de tênis, a Nike concordou, então eles tiraram o tênis de linha.

Agora, antes que qualquer um de vocês comece a gritar ‘Você não pode apagar a história !!!’, lembre-se de que a história é APRENDIDA através de livros, professores e museus. A história é celebrada com estátuas, camisetas e sapatos.

Então, a lenda do Crossfit Rich Froning ficou tão indignada que a Nike concordou em não celebrar uma bandeira da era da escravidão, que ele imediatamente projetou e ainda vende uma camiseta da bandeira de Betsy Ross.

Como Rich poderia ser responsabilizado por essa besteira racista e idiota

Que tal tirar a camiseta e pedir desculpas a Kaep? Eu adoraria estar errado sobre isso, mas diria que há uma chance melhor de Trump postar um tempo de Fran de menos de 2 minutos do que Rich fazer isso”.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *