Fechar os boxes é solução?

Começar o ano com boas novas é sempre melhor do que trazer assuntos polêmicos e tristes. De fato 2021 nasce com novas possibilidades, mas também traz uma nova polêmica para os boxes de CrossFit no Brasil.

A presença da crescente nas curvas da covid-19, somada a uma possível de uma nova paralisação e fechamento de diversos pontos do comércio e de serviços, começa a surgir e dar o que falar. Ainda mais porque entre esses serviços, estão as academias e boxes. Eles que já fecharam as portas durante a primeira fase da quarentena (alguns nunca mais abriram), estão perigando ter que repetir o ato em uma possível segunda leva de lockdown.

Nosso querido médico e Crossfiter assumido, Dr. Rodrigo Jasbick, criador do perfil “Seu Médico Faz CrossFit!”, lançou em seu Instagram um texto falando justamente sobre o caso. Defensor, sobre tudo, da saúde e da vida, o médico pautou a importância de termos as academias abertas. Aliás, não só as academias, mas a prática de atividades físicas.

“Sentenciar ao sedentarismo, estimular a falta de exercícios físicos, não promover um plano de segurança para manutenção desse setor e ainda ter o pensamento medíocre de que academias são locais de lazer, é um CRIME!”, expõe o médico. Na realidade a visão ultrapassada de que se fazer o bem para questão mental está relacionada única e exclusivamente para questão de lazer, parece ganhar força, erroneamente.

Pensar assim é ter uma visão minimalista sobre a realidade dos efeitos que a prática pode causar. “As academias desempenham um papel fundamental, ao ajudar as pessoas a permanecerem ativas e melhorar sua saúde física e mental. Diante dos desafios da pandemia, os decretos de isolamento social, o estresse, ansiedade e prejuízos econômicos. A prática de exercícios se torna mais necessária do que nunca”, pontua Rodrigo em seu post.

Cuidar de doenças crônicas é a principal prevenção

Segundo foi constatado, grande parte da mortalidade vinda da covid-19 tem ligação com as doenças crônicas. Por conta delas, ocorreram diversas complicações impulsionadas pelo vírus, que resultaram na morte dos pacientes.

Para simplificar a importância de termos o CrossFit como um agente de combate contra a covid-19. Basta irmos para a origem da nossa modalidade para perceber que Greg Glassman criou o CrossFit para combater a sua própria doença crônica, a poliomelite. De lá para cá, muitas pessoas se valeram dessa atividade física para lutar contra diversas doenças crônicas, muito antes da chegada do vírus.

Aliás, basta uma análise rápida para perceber que o número de vítimas poderia ser bem maior, caso o CrossFit não tivesse sido desenvolvido. Não só de covid, mais infarto, obesidade, sedentarismo, depressão e uma gama imensa de problemas. “Se uma coisa essa Pandemia escancarou ao mundo foi sobre a necessidade de estar saudável, de preferência bem condicionado. De se combater os fatores de risco para doenças crônicas com toda intensidade”.

Lógica ilógica dos governantes

As academias passam por diversos pontos para se adaptar as normas de cuidado com a transmissão da covid-19. Como pautamos anteriormente, é preciso sim que as academias, donos e alunos se conscientizem da necessidade real desse cuidado. Mas o fato é que eles existem.

Porém, mesmo que muitas academias possam não respeitar a necessidade de distanciamento, uso de máscara e etc. Onde encontramos uma aglomeração maior, nos boxes ou nos transportes públicos? Talvez os governantes, que possuem seus carros oficiais, possam não saber, mas os transportes públicos sim necessitam ser fiscalizados com mais rigidez. Assim como alguns supermercados, restaurantes e até mesmo boates que começam a funcionar, muitas vezes clandestinamente e com superlotação.

Trazer a culpa e jogar em uma questão como as academias e boxes de CrossFit é um pensamento minimante ignorante. Afinal, são pontos que poderão sim ajudar a combater o vírus. Além disso, mesmo que contaminados, nós da HORA DO BURPEE, tivemos relatos de pessoas que pegaram o vírus e não tiveram grandes evoluções de sintomas, todos praticantes de CrossFit. É uma regra? Claro que não, mas o fato de serem ativos fisicamente, puderam passar pelo vírus sem grande morbidades.

CrossFit Nacional na prevenção da covid-19

Verdade seja dita, o exercício físico precisa sim ocorrer, as academias e boxes precisam se manter ativa, até por questões econômicas. Porém, os donos, professores e alunos precisam sim estar atentos e aderir as ações de prevenção, como foram feitos no primeiro mês de abertura após a primeira fase de lockdown.

Não podemos esquecer que a curva está de fato maior e os cuidados devem se manter. Afinal, depende de nós mostrar que os governantes que prezam pelo fechamento das atividades físicas por conta da pandemia estão errados. Assim mostrar que o professor e o coach são tão importantes com suas bermudas como os médicos e seus jalecos, para cuidar da saúde da população.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *