Desvendando o Double Under

Existem alguns exercícios que acabam sendo verdadeiros tabus para quem pratica o CrossFit. Muitas vezes parece impossível conseguir realizar alguns deles com tranquilidade. Mas na realidade, muitos exercícios demoram bastante tempo as vezes para aprender. Um deles é o Double Under.

Anteriormente já havíamos falado sobre a importância do Single Under. Por isso agora chegou a hora de quebrar e desmistificar o tabu do pulo duplo de corda. Para começar, o esse exercício consiste no atleta pular e conseguir fazer com que a corda passe duas vezes em volta do corpo.

Esse movimento para quem já praticou lutas como o boxe que traz a corda como parte da preparação, acaba de fato tendo uma facilidade para aprender e se desenvolver no double. Há também as pessoas que tiveram uma infância com brincadeiras de corda, que já tem uma boa consciência corporal. Mas calma, se esse não é o seu caso, há salvação.

Os punhos

Ao contrário do que muita gente pensa, o double under exige muito mais dos punhos do que do braço como um todo. Assim, enquanto o single under pode ser feito, não é o recomendável, com o giro total do braço, o mesmo não pode ser feito no double. Afinal, fica quase impossível cadenciar o ritmo assim e ter a força e rapidez suficiente para girar a corda.

Por isso, o grande segredo do double under está no giro dos punhos e não dos braços. Isso exige uma boa flexibilidade de punhos, além de um bom giro dos mesmos. Para entender melhor, vale a pena perder um tempo segurando a corda pelos cabos ao lado do corpo e apenas girar a corda ao lado do corpo, sem pular. Logo após, passe a pular como se acorda estivesse passando por baixo, isso ajuda a cadenciar o movimento e começar a entende-lo.

Aproveitar o single under para treinar essa mobilidade também pode ser uma ótima saída. Além de ajudar, e muito, a aprender a mexer melhor os punhos. Usar a mobilidade irá fazer com que os seus pulos se tornem cada vez mais rápidos e melhores.

O Pulo

O Double Under exige um pulo mais rápido certo? Errado. Para fazer o Double, inicialmente, o recomendado é que o pulo seja mais alto e mais demorado. Sendo assim, somado uma aceleração maior dos punhos, ficara muito mais fácil com que a corda passe duas vezes pelo seu corpo.

Dessa maneira, com o passar o tempo e adquirindo cada vez mais habilidade e compreensão do movimento, você poderá pular um pouco menos e girar os punhos ainda mais rápido para assim conseguir um double com mais qualidade. Outro ponto importante que muitos não percebem é a necessidade de pular para o alto e ficar parado no mesmo ponto. Isso facilitará para que a corda não fique batendo no pé.

A tendência de muitos também é de se jogar as pernas para frente. Muitas vezes isso acontece devido a falta de mobilidade no punho, que acaba sendo compensado no corpo. Muitas vezes dá certo, mas acaba sendo mais cansativo, além de muito mais fácil de se errar o movimento. Por isso, vale a pena deixar a corda de lado e treinar pular parado no mesmo lugar.

A mesma lógica serve para quem dobra demais os joelhos para que a corda passe, provavelmente, fazendo desse jeito, a pessoa conseguira fazer um ou mais pulos de double, pois é quase impossível manter um ritmo para muitas repetições assim.

A corda perfeita para o Double Under

Existem diversas cordas feitas para ajudar e otimizar o movimento do double under. Como dito anteriormente, analisamos algumas para ver qual a melhor. Porém, muitos dizem que uma corda curta pode facilitar o movimento, para outros, uma corda maior pode ser a saída.

Mas na realidade, a corda vai de acordo com quem está utilizando. A maneira que achar mais confortável. Obviamente que cordas mais leves e que podem girar melhor, serão mais fáceis para se fazer o exercício. Desde que, a pessoa consiga acompanhar o ritmo da corda. Por isso, o recomendado é que se comece com uma corda mais pesada e conforme vá pegando o jeito, vá evoluindo para as mais leves e consequentemente para o double under.

Exercícios para o Double Under

Existem alguns exercícios que facilitam a compreensão do double under. Fazer o famoso “pinguim”, pulando e batendo com as mãos no corpo ainda no ar, é um começo para ajudar a entender o movimento.

Outra boa saída, ensinada pelo coach e locutor Anderson Brasil, é famosa música do “1,1,1,1,2,1,1,1,1,2”. O atleta pula de acordo com o número que fala. Para quem quiser entender melhor a dinâmica do nosso coach cantor, tem um vídeo ensinando exatamente esse movimento logo ao fim dessa matéria. Além de outros vídeos no seu perfil no Instagram.

Porém, um ponto extremamente importante, assim como em todos os exercícios do CrossFit, é não pular etapas. Sendo assim, aprenda primeiro a afinar o single under com qualidade, aposte um tempo em melhor o giro dos punhos. Para então se aventurar no double under. Por isso, pegue sua corda e comece a pular.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *