Lucas Almeida: “agora vou para brigar pelo pódio”

Ele foi o número 1 da seletiva de Brasília do TCB. Lucas Almeida consegui surpreender a todos e subir no ponto mais alto do pódio. Com isso, o brasiliense carimbou sua entrada para as finais do TCB em São Paulo. Porém, após as seletivas, Lucas conversou com a nossa equipe para falar rapidamente sobre sua vida e a preparação. O atleta que mora atualmente na cidade do Rio de Janeiro e dá aulas na CrossFit Volans, é também o representante da CrossFit IG. Recentemente Lucas já apareceu no alto de outro pódio, o Iron Wod Brasil. Acompanhe a entrevista que Lucas deu para nossa equipe:

Como você começou no CrossFit? Você praticava algum esporte antes?

Sou natural de Brasília e era da seleção brasileira de judô. Fiquei 12 anos treinando, vim para o Rio de Janeiro para participar do Pré-olímpico  de 2016. Porém, comecei a praticar o CrossFit em 2014 com o foco no ganho de performance para o judô. Então o meu amigo Rodrigo Lopes, me apresentou para o coach João Neto. Aliás, é com ele que até hoje eu treino. Começamos na CrossFit Ilha e depois ele abriu a CrossFit IG, onde eu treino atualmente.

Você vive do CrossFit?

Hoje sou coach e possuo o Level 1. Dessa maneira, dou aulas no box da CrossFit Volans do Norteshopping. Aliás, acabo fazendo parte dos meus treinos lá.

Você treina no CrossFit Volans, CrossFit IG e ainda participou do Camp Onair. Quem são os seus coachs de fato?

Meus coaches são o Éder Costa e o João Neto. Juntos eles programam os treinos Onair e Team João Neto.

Você acaba de se qualificar para o TCB. Porém, essa não é a primeira vez que participa da competição, em 2017 também foi campeão na seletiva. Mas o que fez a diferença dessa vez?

Na realidade é a minha quarta participação no TCB. Assim, estou mais maduro para competir. O TCB é uma competição que você precisa estar 100% atento.  Por isso, agora vou para brigar pelo pódio. Esse foi objetivo traçado desde o início do ano.

Quem são ser patrocinadores que te ajudam a manter o desempenho alto?

Meus patrocinadores são a Dodger, o Brupee Brasil e a Farmanunes. Para a alimentação tenho a CrossFood Congelados e na suplementação a Engen.

Para finalizar, como você vê o crescimento do CrossFit e o preconceito criado em cima dele?

O CrossFit está em evolução e ganhando mais tempo como esporte. Com isso, mais equilibrio entre os que praticam. Porém, ainda existem aqueles que acham que o CrossFit é muito lesivo. Eu vim de um esporte olímpico e com treinos de alta intensidade. Posso dizer que todo esporte que exige essa alta intensidade causa uma resposta na saúde e no corpo de imediato. Mas claro, tudo em excesso pode causar riscos.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *